Fiquem conectados conosco

Geral

Energia recuperada de furto pela Coelba é suficiente para abastecer Camaçari e Feira de Santana

Avatar

Publicado

-

A Coelba atingiu, no mês de novembro, a marca de 260 milhões de Quilowatts de energia recuperada em 2019, por meio das operações de combate ao furto. Esse número representa um crescimento de 16% em relação ao mesmo período do ano passado.

De janeiro a novembro, a ‘Operação Varredura’, da Coelba, realizou 190 mil inspeções em estabelecimentos comerciais e residenciais e identificou e desativou 64 mil ligações clandestinas de energia elétrica. Em todo estado, 35 pessoas foram presas em flagrante por furto de energia.

O volume de energia desviado, neste período, por ligações clandestinas (o popular ‘gato’) é suficiente para abastecer os municípios de Feira de Santana e Camaçari, juntos, durante um ano (2,2 milhões de residências).

Fazendo um comparativo com a cidade de Salvador, os 260 milhões de Quilowatts de energia recuperados pela Coelba são suficientes para abastecer a capital baiana durante 25 dias.

O furto de energia é crime previsto no artigo 155 do Código Penal Brasileiro, cuja pena pode alcançar até oito anos de reclusão. Além de representar riscos de acidentes graves à população, a energia furtada também provoca perturbações no fornecimento de energia da região e pode provocar a queima de eletrodomésticos dos vizinhos.

Leia também 

Resultados do Encceja já podem ser consultados

Mega-Sena pode ter prêmio de R$ 3 milhões

Boulevard Shopping promove intensa programação para este fim de semana em Camaçari

Onde Ir: DêCafé Bistrô une gastronomia, conhecimento e sustentabilidade

UNIÃO 1
UNIÃO 2
UNIÃO 3
CAMAÇARI CARD

Copyright © 2017-2020 Destaque1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução parcial ou total de conteúdo deste site sem autorização por escrito da Good Comunicação Ltda. Rua Francisco Drumond, nº 54 A, 1º Andar, Sala 102, Centro, Camaçari, Bahia.

error: Alerta: Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou botões disponíveis na página. A medida visa preservar o investimento que o Destaque1 faz no jornalismo.