Dermatologista explica como cuidar da pele durante o verão

Sol, mar e alegria. Essas são as primeiras palavras que vêm à cabeça da maioria das pessoas quando se fala em verão. A estação tem início no dia 22 de dezembro e segue até 20 março. Na Bahia, a média de temperatura na época é de 30° e é preciso estar atento para os cuidados com a pele neste período.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer de pele responde por 33% de todos os diagnósticos da doença no Brasil. A cada ano, são registrados, cerca de 180 mil novos casos.

Em entrevista ao Destaque1, o dermatologista Gustavo Sampaio, que atende na Clínica de Dermatologia e Alergia – Clidac, através da rede Hapvida, ressaltou a importância de cuidar da pele no verão e explicou quais as melhores formas de se proteger do sol e aproveitar a estação.

Destaque1 – Qual a visão que o senhor tem sobre a divulgação de informações e o debate relacionado ao câncer de pele atualmente? 

Gustavo Sampaio – Hoje a gente tem muita informação sobre o câncer de pele, a gente já teve muito menos. Antigamente, os nossos avós e tudo mais, tinham muito menos informações do que tem hoje, hoje a gente tem campanhas como o ‘Dezembro Laranja’, então eu acho que cada dia que se passa a gente conhece mais e estatisticamente tenho certeza que também há mais números, não porque aumentou, mas porque as pessoas descobrem mais, vão ao médico e antigamente  não tinha essa preocupação que hoje se tem.

D1 – Na Bahia, as altas temperaturas seguem em todas as estações, como deve ser a proteção da pele no cotidiano?

 

D1 – Como deve ser a proteção da pele das crianças?

G.S – Existem protetores solares específicos pra crianças, a partir de seis meses de idade, abaixo disso não se deve expor a criança ao sol além de alguns minutinhos. Tem que ter uma atenção maior porque a criança vai estar sempre na água, sempre tem que estar repondo. Camisas UV ajudam bastante porque é um material que vai estar sempre ali, não precisa como o protetor, colocar e tirar; mas nas áreas que a camisa não cobre como rosto, mão, é importante.

O dermatologista Gustavo Sampaio destaca a importância de cuidar da pele no verão. Foto: Hyago Cerqueira/Destaque1

D1 – Qual o limite que deve haver para o bronzeamento?

G.S – O sol de todo modo não é um vilão, o sol que é menos agressivo e menos danoso é aquele sol antes das 10h e após as 16h. Entre as 10h e as 16h é importante o cuidado com a proteção. Existem alimentos que podem ajudar pessoas que querem estar com a pele mais bronzeada, que são os alimentos alaranjados, esverdeados, então isso ajuda no momento do bronzeamento. O principal é ter o cuidado, a questão do bom senso, não passar dos limites para não ter uma insolação e outros problemas.

D1 – Quais são os sintomas que indicam a possibilidade de câncer de pele?

 

D1 – Muito se fala sobre o cuidado com os sinais espalhados pelo corpo, quem possui esses sinais deve redobrar a atenção?

 

D1 – Em caso de insolação, o que deve ser feito para amenizar a situação?

G.S –  Passou do ponto em relação a exposição solar, vai notar logo a pele ficar avermelhada, arder, sinais de desidratação, sintomas sistêmicos. Hidratação, beber bastante líquido, utilizar cremes para poder acalmar um pouco a pele e hidratar bastante a pele que isso vai passar.

D1 – Quais as suas considerações finais?

G.S – Basicamente a gente tem que falar sempre do protetor solar, porque além do câncer de pele tem o envelhecimento precoce, e tudo mais. Com o calor vem também a umidade, então é importante ter cuidados com as micoses, não ficar com roupa molhada e curtir a melhor época do ano com bom senso.

Leia também 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Para compartilhar esse conteúdo, por favor, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. As regras tem como objetivo proteger o investimento que o Destaque1 faz na qualidade de seu jornalismo.