Sindrod quer reajuste salarial de 15%, mas descarta paralisação em Camaçari

Após quatro rodadas de negociações, a comissão do Sindicato dos Rodoviários de Camaçari e Região (Sindrod) avalia a proposta apresentada pelas empresas de reajuste de 5,1% nos salário dos trabalhadores. Em direção à quinta rodada de discussão,  a direção do Sindrod se reunirá na próxima semana com os empresários no Sindicato Patronal.

Caso os rodoviários aceitem a proposta das empresas, eles irão passar a receber R$ 1.920,87. Um cobrador que trabalha nos transportes intermunicipais e metropolitanos, recebe R$ 1.348,45. Com acréscimo de 5,1%, eles passarão a receber R$ 1.417, 22. Segundo o sindicato, os rodoviários recebem o ticket de alimentação por dia equivalente a R$ R$ 15,18.

O presidente do Sindrod, Daniel Ferreira, afirma que a proposta apresentada pelos patrões é a mesma que atenderá a categoria de Salvador. “Eles estão oferecendo o mesmo que ofereceram a Salvador. Não aceitamos. O que propus foi 10% no ticket de alimentação para a VCI [Viação Cidade Industrial] e Cidade das Águas”, pontua.

Entretanto, questionado sobre a possibilidade de greve da categoria em Camaçari e cidades vizinhas, Daniel descarta. “Não, porque se a gente fechar por que vai ter? Não tem motivo”, afirma.

Para este ano, o Sindrod defende um reajuste salarial de 15%, equiparação dos tickets de alimentação com um aumento entre 10% e 20%, estabilidade dos cobradores, 40 horas fixas de trabalho e manutenção dos direitos garantidos na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT).

Atualmente, um motorista convencional que exerce a função nos ônibus metropolitanos recebe R$ 2.392,61, com o ajuste de 2,10% referente ao ano passado. Já os motoristas da Viação Cidade Industrial e Cidade das Águas recebem R$ 1.827,66.

Outra reivindicação dos rodoviários é a “estabilidade dos cobradores”, por conta da substituição do pagamento das passagens em espécie para implantação de bilhetes eletrônicos, como é no caso o Camaçari Card, Metropasse, CCR Metrô, Salvador Card. À frente da negociação, Daniel Ferreira explica que a proposta dos rodoviários é que “mantenham pelo menos 50% dos cobradores se venha acontecer isso”. Os rodoviários e sindicalistas temem demissões em massa por conta da modernização do sistema de pagamento das passagens.

O Sindrod atende a 12 cidades: Dias d’Ávila, Mata de São João, São Sebastião do Passé, Catu, Pojuca, Entre Rios, Esplanada, Simões Filho, Candeias, São Francisco do Conde, Campo Formoso e Jacobina. Ainda segundo o sindicato, entre Camaçari e Dias d’Ávila são cerca de mil funcionários das empresas Viação Cidade Industrial, Brisa, Turim e Cidade das Águas.

Sindicato dos Rodoviários da Bahia

Na terça-feira (14), durante audiência no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), em Salvador, foram apresentadas as propostas de reajuste salarial equivalente a 5,1%; absorção dos alunos que fazem parte da Escola de Formação do Sindicato para o programa de promoção como motorista; o custeio das empresas nos campeonatos de futebol realizado pelo sindicato; concessão por parte das empresas de um ônibus para que o sindicato realize atividades sociais.

Além do reajuste no ticket alimentação de quase 10%, sendo R$ 20 por dia; permissão das permutas entre os trabalhadores; aceitação por parte das empresas dos atestados e o cumprimento como determina a CLT; e a inclusão dos manobristas e motoristas de micro-ônibus no programa de financiamento da renovação da habilitação.

Já nesta quarta-feira (15) foi proposto um aumento de 5,1% nos salários e de 9,5% no tíquete refeição, que passa de R$ 18,26 para R$ 20. A categoria de Salvador aceitou o acordo durante uma reunião no Ginásio dos Bancários, na região dos Aflitos, na capital baiana. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Para compartilhar esse conteúdo, por favor, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. As regras tem como objetivo proteger o investimento que o Destaque1 faz na qualidade de seu jornalismo.