Fiquem conectados conosco

Geral

“Quando chegar a sua vez, você deve se vacinar”, orienta infectologista sobre imunização contra a Covid-19

A especialista alerta que as pessoas devem se informar quanto às orientações de vacinação.

Avatar

Publicado

em

Foto: Michael Weber

A primeira fase da vacinação contra o coronavírus já foi iniciada em todo o território nacional e, apesar de nem toda a população ser contemplada nesta etapa, é importante que algumas dúvidas sejam sanadas para que, no momento adequado, ninguém deixe de se vacinar.

Um dos pontos destacados por Silvia Fonseca, infectologista do Sistema Hapvida, são os hábitos que não devem mudar, mesmo no período pós-vacina. O uso de máscara e a higienização seguirão enquanto práticas que devem ser realizadas por todos. “Quem já recebeu a primeira dose da vacina e, até mesmo após o recebimento da segunda, não pode deixar esses hábitos que temos feito ao longo de toda a pandemia. Até que todos sejam imunizados, o combate à Covid não dependerá somente da vacinação”, explica Silvia.

A especialista alerta que as pessoas devem se informar quanto às orientações de vacinação cedidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), uma vez que as vacinas fazem parte do programa nacional de imunização. A ordem de prioridade é direcionada pelo Ministério da Saúde, que contempla nesta primeira fase profissionais de saúde da linha de frente e idosos que vivem em asilos e situação de risco. Na Bahia, o plano de vacinação segue a orientação nacional e tem vacinado os trabalhadores da saúde que lidam diretamente com os casos de Covid-19, população idosa com 75 anos ou mais; pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência, asilos ou instituições psiquiátricas; indígenas, aldeados e povos de comunidades ribeirinhas.

Embora circule entre algumas pessoas o medo de se vacinar, a orientação da infectologista é que as vacinas são seguras e a melhor maneira de combater, para além da Covid-19, diversas infecções. Silvia reforça que já não são vistas doenças como paralisia infantil e difteria justamente por ter sido possível imunizar a população contra elas. “Em relação à Covid-19, temos agora vacinas autorizadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), portanto, quando chegar a sua vez, você deve se vacinar”, orienta.

As condições de saúde sinalizadas pela especialista para quem for receber a primeira dose é não estar com febre nem se recuperando de nenhuma doença grave. Ela destaca, no entanto, que a análise deve ser feita pelo profissional responsável por aplicar a vacina, no posto de saúde.

Publicidade

Copyright © 2017-2021 Destaque1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução parcial ou total de conteúdo deste site sem autorização por escrito da Good Comunicação Ltda. _____________________________

error: Alerta: Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou botões disponíveis na página. A medida visa preservar o investimento que o Destaque1 faz no jornalismo.