Novo coordenador do Enem deve priorizar ensino e não doutrinação, assegura Bolsonaro

Na manhã deste sábado (5), o presidente Jair Bolsonaro (PSL) anunciou em sua conta oficial no Twitter o professor de Filosofia e doutor em economia pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), Murilo Resende, como o novo coordenador do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Na publicação, Bolsonaro comemora a nomeação e afirma que com a nova coordenação o Enem terá “enfoque na medição da formação acadêmica”, e não no que chama de doutrinação ideológica.


O Exame e a educação no país são alvos de crítica do presidente desde o período de campanha. Para ele alguns professores exercem doutrinação marxista nas escolas, ao invés de se importarem com o ensino.

Em novembro, na edição do Enem deste ano, Bolsonaro criticou a prova ao dizer que haviam questões que abordavam ideologia de gênero – temática alvo de grandes críticas do político. “Qual a razão de incluir ideologia e politicagem nos testes que medem o conhecimento dos nossos alunos? Não devemos fabricar militantes, mas preparar o jovem para que se torne um bom profissional no futuro. O modelo atual não funciona, temos péssimos indicativos. É preciso mudar!”.

Resende, 36 anos, foi escolhido pelo ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, como diretor de Avaliação da Educação Básica do Instituto de Estudos e Pesquisa Educacionais Anísio Teixeira (Inep), que é o órgão responsável pelo Enem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Para compartilhar esse conteúdo, por favor, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. As regras tem como objetivo proteger o investimento que o Destaque1 faz na qualidade de seu jornalismo.