Fiquem conectados conosco

Cultura

Cineclube Osba discute filme clássico de Hitchcock na próxima quarta-feira

O bate-papo também tem como objetivo debater os limites da música de concerto contemporânea a partir da trilha do filme.

Avatar

Publicado

-

O Cineclube da Orquestra Sinfônica da Bahia (Osba) escolheu para essa edição de novembro o clássico filme de horror “Os Pássaros” (1963), do cineasta britânico Alfred Hitchcock, como indicação para o público assistir antes do debate virtual com músicos da orquestra e pesquisadores de música e cinema. Neste mês, a live acontece na quarta-feira (11), às 19h, e contará com a presença de Thomaz Rodrigues, chefe do naipe de violoncelos da Osba, e Lucas Ravazzano, professor e pesquisador na área de análise fílmica.

O bate-papo também tem como objetivo discutir os limites da música de concerto contemporânea a partir da trilha musical do filme, de autoria de John Cage, compositor estadunidense e um dos principais nomes da vanguarda da música instrumental na segunda metade do século XX, pioneiro da música eletroacústica e do uso de instrumentos não convencionais na música de concerto. A live debate terá transmissão ao vivo no canal da Osba no Youtube.

Sobre o filme

Para os interessados em assistir ao filme, o Cineclube Osba recomenda a consulta ao site Just Watch para encontrar a melhor plataforma de acesso ao conteúdo; é preferível que o público assista antes da live, a fim de melhor participar. “Os Pássaros” (1963) trata de um estranho acontecimento na pacata cidade de Bodega Bay, na Califórnia, na qual milhares de pássaros se instalam e começam a atacar a população. 

UNIÃO 1
SUPERLIMP
ASSINATURA DESTAQUE1
HELLOA

Copyright © 2017-2020 Destaque1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução parcial ou total de conteúdo deste site sem autorização por escrito da Good Comunicação Ltda. Rua Francisco Drumond, nº 54 A, 1º Andar, Sala 102, Centro, Camaçari, Bahia.

error: Alerta: Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou botões disponíveis na página. A medida visa preservar o investimento que o Destaque1 faz no jornalismo.