Enem será aceito em 42 instituições de Portugal

As notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) serão aceitas para concorrer a uma vaga no Instituto de Estudos Superiores de Fafe (IESFafe), de Portugal. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) firmou acordo para uso das notas do exame na seleção de brasileiros em seus cursos de graduação. A instituição situada na cidade de Fafe, ao norte do país ibérico, é a 42ª da educação superior portuguesa a fazê-lo.

O presidente do Inep, Alexandre Lopes, destacou o avanço no acordo. “Esse tipo de convênio é uma forma de facilitar o acesso dos estudantes brasileiros às instituições internacionais”, afirmou. Lopes ressaltou, ainda, que o objetivo é estender o convênio para outros países. “Iniciamos as tratativas com a Embaixada da Espanha para que as instituições de ensino superior espanholas também aceitem o Enem como prova de acesso”.

Pelo Enem Portugal, como é conhecido o convênio, mais de 1,2 mil brasileiros já ingressaram em instituições portuguesas em cinco anos. Para Enrique Vásquez Justo, presidente do IESFafe, a instituição está preparada para receber os estudantes brasileiros. “Oferecemos curso de licenciatura e mestrado nas áreas de educação, tecnologia, gestão de empresa e turismo”, frisou.

Renovação

As universidades de Coimbra e do Algarve renovaram o convênio com o Inep neste ano. A primeira parceria ocorreu há cinco anos.

Cada instituição define as regras e os pesos para uso das notas. Os convênios não envolvem transferência de recursos e não preveem financiamento estudantil pelo governo brasileiro.

A revalidação de diplomas e o exercício profissional no Brasil dos estudantes que cursarem o ensino superior em Portugal estão sujeitos à legislação brasileira. As instituições de ensino superior portuguesas signatárias de convênio são responsáveis pela comunicação oficial com os candidatos admitidos em seus cursos sobre essas regras.

Leia também 

error: Para compartilhar esse conteúdo, por favor, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. As regras tem como objetivo proteger o investimento que o Destaque1 faz na qualidade de seu jornalismo.