Atletas de Camaçari vendem rifas e doces para disputar Campeonato Brasileiro de Jiu-Jitsu em São Paulo

Unidos em um só objetivo: ir para o Campeonato Brasileiro de Jiu-Jitsu. Pensando nisso, 11 atletas de Camaçari da Academia Raiz Jiu-Jitsu reuniram forças para arrecadar recursos financeiros para conseguirem participar da competição esportiva que tem início no sábado (27). A disputa segue até 5 de maio, na cidade de Barueri, em São Paulo. Juntos, eles estão comercializando lanches diversificados, repassando rifas e organizando treinos. As ações são feitas na unidade em que eles praticam a arte marcial.

De acordo com os esportistas, as arrecadações são para cobrir os custos com o transporte, alimentação e o translado em São Paulo para os nove dias de competição, sendo aproximadamente R$ 1.200 por atleta. Como são 11 competidores, no total, os custos geram em torno de R$ 13.200.

A competição está dividida em duas etapas. No sábado (27) e domingo (28) irão disputar atletas de 4 a 17 anos. Já em 29 e 30 de abril até 5 de maio, atletas a partir de 18 anos. A separação dos atletas é determinada pelo ano de nascimento, categoria da idade, faixa e peso, além da divisão entre os competidores masculinos e femininos. As inscrições encerram no último sábado (20).

Os atletas na categoria infantil que irão competir são Marcos Bispo Duarte, Davi Guerreiro, Lucas Matos Santos Nery, Laura Raira, Thalita Santos do Nascimento e Gustavo Assis Soares. Na modalidade adulto, Adenildo Sá Soares, que é conhecido como Tico, e João Vitor Carvalho.

O atleta e treinador Adenildo Soares (Tico), pratica Jiu-Jitsu há nove anos, já competiu e conquistou mais de 10 campeonatos e está classificado na 14ª posição no ranking nacional dos melhores atletas pela Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu (CBJJ). Adenildo já participou outras vezes do evento e desta vez vai em busca de um grande título.

Sobre a mobilização para a competição, ele afirma que “já estamos nessa jornada há alguns anos e não temos apoio. Então essas estratégias de rifas, vender doces, lanches, picolé e cremosinho já é antiga na nossa vida. E alguns anos atrás quando começamos foi a única coisa que fez a gente levantar uma grana mais rápido, porque são coisas que todos gostam e consomem”, explica Tico.

Iniciando a sua carreira esportiva nas artes marciais aos 13 anos, João Carvalho, 17, pratica o esporte há cinco anos. Ele explica a importância de participar de um campeonato como este. “Esse evento é o maior evento do mundo em números de atletas na minha categoria, que é a peso meio pesado faixa azul adulto masculino. Somente neste ano tem 65 atletas. Em 2017 fiquei em terceiro colocado com a medalha de bronze”, destacou.

Para colaborar com os atletas, um depósito ou transferência bancária pode ser feita pelo banco da Caixa Econômica Federal, Agência 1051, Conta Poupança 013.00701147-7.

Um comentário em “Atletas de Camaçari vendem rifas e doces para disputar Campeonato Brasileiro de Jiu-Jitsu em São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Para compartilhar esse conteúdo, por favor, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. As regras tem como objetivo proteger o investimento que o Destaque1 faz na qualidade de seu jornalismo.