Moda sustentável: o estilo de vida por trás do conceito

Você sabia que são necessários 11 mil litros de água para produzir uma calça jeans? Esse é apenas um dos fatores que torna a moda um dos setores que mais prejudica o meio ambiente. No entanto, diversas marcas tem buscado opções alternativas na produção de roupas e o conceito de moda sustentável tem crescido cada vez mais.

De acordo com uma análise feita pelo site especializado em consumo online, Lyst, as pesquisas por moda sustentável cresceram 66% em 2018. O que comprova que há maior conscientização sobre o assunto, que ainda deve ser bastante debatido.

A produção de algodão, utilizado na maior parte das peças de vestuário, demanda o uso de diversas substancias tóxicas que prejudicam o solo e a água de onde é produzido. Por isso, o crescimento dos brechós também é algo a ser ressaltado, uma vez que com a compra de roupas já usadas, há a redução da necessidade de fabricação de outras.

O conceito de moda ecológica abrange a produção de roupas de acordo com os princípios de sustentabilidade. A peça deve ser produzida com materiais naturais, orgânicos ou recicláveis, também deve haver a preocupação com o descarte de resíduos e o reaproveitamento de matéria prima.

Alguns dos materiais utilizados para produzir peças ecológicas são garrafas plásticas, algodão orgânico (produzido sem a utilização de agrotóxico), borracha reciclada de pneus, couro curtido (feito a partir de extratos naturais) e lã orgânica.

Nas passarelas internacionais, marcas como Nina Ricci Paris, Botter, Stella McCartney, Marie-Eve Lecavalier e Wet Green, são conhecidas por apresentarem coleções com roupas ecológicas. No Brasil, ao procurar por peças sustentáveis é possível encontrar marcas como Insecta, Pantys, Timirim, Manui Brasil e Ai.Ginska.

Aliado ao consumo sustentável, deve haver o consumo consciente, uma vez que peças ecológicas são criadas para serem consumidas de acordo com a necessidade e não podem ser vistas como formas de consumismo, que é comprar algo por simples prazer.

Todavia, apesar de todos os benefícios da moda sustentável, as peças possuem um preço maior que as comuns, devido a produção artesanal, que não ocorre em larga escala como nas grandes marcas. Portanto, é preciso entender que esse conceito vai além da compra da roupa. É uma forma de colaborar com a preservação do meio ambiente e diminuir o trabalho escravo, muito comum nas produções em grande escala, logo, é necessário entender que por trás do preço pago há uma série de benefícios para toda a humanidade.

Mirelle Limaestudante de jornalismo e entusiasta de moda. Escreve as sextas a cada duas semanas. jornalismo@destaque1.com

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Para compartilhar esse conteúdo, por favor, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. As regras tem como objetivo proteger o investimento que o Destaque1 faz na qualidade de seu jornalismo.