Xadrez eleitoral do Governo Elinaldo para Câmara está praticamente pronto

O político que pretende disputar a eleição de 4 de outubro deste ano precisa ingressar em um partido ou mudar de legenda seis meses antes do pleito eleitoral, ou seja, até 4 de abril. Em Camaçari, o prefeito Elinaldo Araújo (DEM) irá disputar a reeleição e já designou o vice-prefeito José Tude para organizar o time que brigará pelas 21 cadeiras da Câmara Municipal.

Entretanto, o dream team será escalado pelo próprio Elinaldo. Alguns integrantes têm atenção especial, a exemplo dos vereadores e suplentes. As equipes estão praticamente montadas. O objetivo central é que a tropa de elite do grupo esteja em quatro legendas prioritárias: DEM, PR, Republicanos e PSDB. Conforme legislação eleitoral, cada partido deve ter, no máximo, 32 candidatos, o que totaliza 128 nomes, com 30% de mulheres.

Vamos à escalação. Os vereadores Jorge Curvelo, Júnior Borges, Flávio Matos, Antônio Falcão, Jamelão e Vaninho da Rádio permanecem no DEM, juntos com os suplentes Rui Magno e Fafá de Senhorinho. A equipe será reforçada com pré-candidatos novos e alguns já testados nas urnas, a exemplo do ex-vereador João da Galinha.

Outro partido que terá grande potencial eleitoral é o PR. A legenda já abriga os vereadores Elias Natan, Gilvan Souza e o suplente Niltinho. O partido deve ganhar ainda os vereadores Adalto Santos e Pastor Neilton Silva.

Já o Republicanos disputará a eleição com Bispo Jair Costa, a suplente Cristiane Bacelar e o vereador Val Estilos, recém chegado na legenda. Além desses, tudo indica que a Igreja Universal irá apostar em alguns novos quadros internos já em processo de formação política.

A incógnita ainda fica por conta do PSDB. O partido está sob o comando do vereador Oziel Araújo, e caso permaneça na base do governo terá também o vereador Dilson Magalhães Jr. e o suplente Dedel. Se isso não ocorrer, Dilson e Dedel seguem imediatamente para outra legenda.

Surpreendentemente, o atual líder na Casa Legislativa, Zé do Pão, permanece sozinho no PTB. O partido seria uma alternativa para Dilson e Dedel, caso o PSDB se transforme em um problema. Assim, o PTB se tornaria a quarta legenda prioritária no tabuleiro. Porém, também existe a possibilidade da paz ser selada entre os tucanos e o governo, deste modo, Zé do Pão pode ser forçado a ingressar no PR, Republicanos ou PSDB para garantir sua reeleição.

Integrantes de uma órbita nebulosa e sem o oxigênio necessário, o PV e PSL precisarão de muita sorte para se manterem vivos durante a corrida eleitoral. Alguns poucos aliados presentes nas legendas ou que pretendiam migrar para elas, ainda podem ser deslocados para o dream team até 4 de abril.

*Lenielson Pita é jornalista e editor do Destaque1.

 

 

 

 

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Para compartilhar esse conteúdo, por favor, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. As regras tem como objetivo proteger o investimento que o Destaque1 faz na qualidade de seu jornalismo.