“Sensação de dever cumprido”, afirma Flávio Matos sobre aprovação de PL que reduz taxa de esgotamento sanitário

Foi aprovado na manhã desta quinta-feira (3), em segunda votação, na sessão da Câmara de Vereadores, realizada no Teatro Alberto Martins, o Projeto de Lei nº 046/2019, de autoria do vereador Flávio Matos (DEM), que reduz para 40% o percentual cobrado de tarifa pelo serviço de esgotamento sanitário efetuado pela Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) em Camaçari. Atualmente, o valor cobrado corresponde a 80% da fatura.

Vereador Flávio Matos (DEM) Foto: Hyago Cerqueira

Na tribuna, o vereador ressaltou que muitas pessoas pagam por um serviço que elas não possuem e que caso a lei seja aprovada pelo Governo Municipal, o valor da conta de água será reduzido. “Hoje colocamos mais um passo adiante a favor da população de Camaçari. Nosso projeto vai apertar aquela que não vem prestando um serviço adequado à população, a nossa empresa de saneamento básico, a Embasa. Mais de R$ 80 milhões já foram investidos em esgotamento sanitário e sabemos que pessoas com fossas inadequadas pagam um valor absurdo, 80% da conta de água. Hoje conseguimos essa vitória, se essa lei entrar de fato em vigência, se conseguirmos a sanção do perfeito [Elinaldo Araújo], irá beneficiar a todos de Camaçari, todos terão a conta da água reduzida”, destacou o político.

Em entrevista ao Destaque1, Flávio Matos contou que o sentimento de ter o projeto aprovado é de dever cumprido. Ele ainda explicou que a intenção da medida é colaborar para o bem estar da população.

 

Já o vereador Zé do Pão (PTB) parabenizou o colega e criticou o percentual da taxa cobrada pela Embasa. “Independente de bandeira, de oposição, a gente sente que o que a Embasa faz com o povo de Camaçari é uma vergonha, uma falta de respeito, onde se cobra 83% e na verdade boa parte do esgoto não é realidade, porque não existe”, enfatizou o líder do governo na Câmara.

Para o vereador Jackson do Gravatá (PT)  a prefeitura não deveria assinar o convênio com a Embasa. “Já que existe uma jurisprudência, é só a prefeitura não assinar o convênio com a Embasa, passa o serviço de abastecimento de água e de esgotamento sanitário para a prefeitura assumir, como é em Alagoinhas, como é em outros municípios da Bahia”, disparou.

Após a discussão, o PL foi aprovado e segue agora para o análise do prefeito Elinaldo Araújo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Para compartilhar esse conteúdo, por favor, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. As regras tem como objetivo proteger o investimento que o Destaque1 faz na qualidade de seu jornalismo.