Fiquem conectados conosco

Geral

Rui Costa garante que monitoramento de barragens na Bahia será reforçado

Camila São José

Publicado

em

Após a tragédia de Brumadinho (MG), com o rompimento de barragem da Vale na semana passada, o governador da Bahia, Rui Costa (PT), anuncia que um programa de segurança das barragens de água e mineração será colocado em prática no estado. A notícia foi dada durante a edição do programa Papo Correria desta terça-feira (29).

“Eu quero tranquilizar a população dizendo que determinamos novas visitas e fiscalização”, assegura. Rui garante que o executivo estadual está solicitando audiência pública para debater a situação de duas barragens federais localizadas em terreno baiano, a do Departamento Nacional de Obras contras as Secas (DNOCS) e da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf).

A Bahia tem são 14 barragens de rejeitos, segundo informações da Agência Nacional de Mineração no estado. Conforme o órgão, não há registro de acidentes com barragens de rejeitos em território baiano. As barragens de mais alto potencial de dano estão localizadas em Jacobina, Santa Luz e Itagibá.

Sobre as barragens de água, segundo pesquisa divulgada no ano passado pela Agência Nacional de Águas (ANA), 10 estão com problemas, entre elas a RS1 e RS2, em Camaçari. Porém, vale ressaltar que o estudo foi feito em 2017. Todas as barragens com problemas no estado são administrados pelo Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia (Inema).

“O fundamental é monitorar de forma permanente para dar segurança às pessoas”, defende ao dizer que atualmente empresas e poder público dispõem de tecnologia avançada para garantir esse monitoramento.

Publicidade

Copyright © 2017-2021 Destaque1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução parcial ou total de conteúdo deste site sem autorização por escrito da Good Comunicação Ltda. _____________________________

error: Alerta: Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou botões disponíveis na página. A medida visa preservar o investimento que o Destaque1 faz no jornalismo.