Fiquem conectados conosco

Geral

Procon fiscaliza irregularidades na venda de alimentos da ceia natalina

Avatar

Publicado

-

A Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-BA) e a Delegacia do Consumidor (Decon) deflagraram esta semana uma operação conjunta para fiscalizar o comércio de alimentos que compõem a ceia natalina. A Operação ‘Ceia de Natal’ segue até o dia 13 de dezembro.

O objetivo da operação é garantir qualidade, saúde e segurança para os consumidores que buscam produtos alimentícios durante os festejos natalinos. Durante a fiscalização, os agentes dos órgãos verificarão as condições de armazenamento e exposição dos produtos alimentícios, bem como as formas de precificação e prazos de validade.

As ofertas e as promoções enganosas também farão parte dos itens fiscalizados. A comercialização de produtos impróprios ao consumo e as publicidades enganosas, além de serem infrações passíveis de autuação pelo Procon-BA, configuram crime de consumo e os infratores podem responder a procedimentos junto à Delegacia do Consumidor. Em 2018, durante a mesma operação, 35 supermercados foram fiscalizados e quatro foram autuados.

As denúncias ao órgão podem ser encaminhadas através do aplicativo Procon-Ba Mobile ou pelo e-mail: denuncia.procon@sjdhds.ba.gov.br.

Leia também 

Concerto Harmônico de Natal leva apresentações musicais para as ruas de Camaçari

Central do Empreendedor será inaugurada nesta sexta-feira em Arembepe

Camaçari registrou 91 novos casos de AIDS este ano

Bahia se despede de sua torcida em 2019 nesta quinta com promoção de ingresso

Confira o calendário da Seleção Brasileira para a Copa América 2020

UNIÃO 1
SUPERLIMP
ASSINATURA DESTAQUE1

Copyright © 2017-2020 Destaque1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução parcial ou total de conteúdo deste site sem autorização por escrito da Good Comunicação Ltda. Rua Francisco Drumond, nº 54 A, 1º Andar, Sala 102, Centro, Camaçari, Bahia.

error: Alerta: Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou botões disponíveis na página. A medida visa preservar o investimento que o Destaque1 faz no jornalismo.