Fiquem conectados conosco

Geral

Outubro Rosa Pet alerta para câncer de mama em cadelas e gatas

Tutores devem ficar atentos a suas fêmeas de estimação.

Avatar

Publicado

-

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABR

Cães e gatos também podem sofrer de câncer de mama, alerta o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP). Em alusão ao Outubro Rosa, mês em que a campanha de prevenção e combate ao câncer de mama procura conscientizar as mulheres da importância de adotar medidas preventivas, a entidade chama atenção para que o cuidado também se estenda aos animais de estimação.

A maior incidência da doença é em fêmeas, contudo, entre 1% e 3% dos casos são diagnosticados também em machos. Os tumores de mama têm uma tendência a aparecer em cadelas adultas, entre 4 e 12 anos de idade. Já as gatas podem desenvolver a partir de um ano de vida.

O médico veterinário e especialista em Oncologia Veterinária Rodrigo Ubukata explica que a incidência é bastante variável, de acordo com a região e o país. “Países desenvolvidos têm política de controle populacional, com isso os animais são castrados precocemente e consequentemente acabam tendo menor incidência de câncer de mama. Já países em desenvolvimento têm uma política de controle populacional ainda inadequada e uma cultura da população muito preconceituosa, então os animais muitas vezes não são castrados precocemente e com isso a incidência de tumores de mama aumenta, porque são tumores que têm uma relação direta com o status reprodutivo do animal”.

No Brasil, completa o médico, os tumores de mama têm uma frequência bastante alta, quando considerado todos os tipos de tumores que existem nos animais de estimação. Ubukata também é membro da Subcomissão de Biossegurança em Quimioterapia Antineoplásica da Comissão de Saúde Pública do CRMV-SP.

O diagnóstico e o tratamento precoce da lesão, assim como nos humanos, é também a melhor forma de proporcionar um prognóstico e, talvez, a cura do tumor. “Assim como na mulher, apalpar a mama [do animal] em busca de nódulos é muito importante, e assim que se localizar qualquer volume anormal, devem levar imediatamente ao médico veterinário, especialmente se esses volumes aumentarem rapidamente”, alerta a médica veterinária Maria Cristina Santos Reiter Timponi, também presidente da Comissão de Entidades Veterinárias do CRMV-SP.

“Por ocasião do Outubro Rosa, aproveita-se a data para fazer a conscientização da população sobre o que é o tumor de mama, como se faz um diagnóstico precoce, até mesmo ensinando os tutores como vão examinar as mamas das cadelas e das gatas à procura de possíveis nódulos, para que percebam o mais rápido possível e procurem uma ajuda profissional”, completa Ubukata.

A médica Maria Cristina explica que todas as raças de cadelas, inclusive as híbridas, sem raça definida, podem ter tumor de mama. “Sabemos que é na pseudogestação [falsa gestação] aonde as taxas de progesterona ficam altas e isso ocorre dois meses a três após o cio, época em que aumenta a predisposição das cadelas que têm esse tipo de ocorrência ter tumores mamários”.

A especialista completa que o aparecimento de tumores normalmente ocorre em fêmeas mais velhas acima dos sete anos de idade, “porém com o uso do anticoncepcional, temos fêmeas jovens acometidas de tumores malignos”.

A melhor forma de prevenir tumores mamários é a castração antes do primeiro cio ou logo depois do primeiro cio. “Normalmente são as fêmeas não castradas que têm maior propensão a tumores, aquelas que recebem frequentemente anticoncepcional e aquelas também que têm a pseudogestação, onde tem a presença de leite nas mamas dois a três meses pós cio. As mamas que não foram expostas à ação dos hormônios em geral não terão câncer mamário”, esclarece a médica.

Ubukata acrescenta que estudos feitos desde 1968 mostram que cadelas castradas antes do primeiro cio, por volta dos seis meses de idade, reduzem em 99% as chances de incidência de tumor de mama.

Diagnóstico e tratamento

Quando o médico veterinário localiza algum nódulo, ele pode pedir a citologia aspirativa para determinar se é maligno ou benigno. “Em geral sugere-se a retirada cirúrgica, mas normalmente se pede também exames complementares pré-operatórios, como hemograma, função renal e hepática, mas, especialmente raio-x de tórax e ultrassom abdominal, porque quando o tumor é maligno, esses nódulos já podem ter alguma metástase em outro órgão. Quando retiramos o tumor primário da mama, se vier um segundo, ele é metastático e cresce rapidamente”, alerta Maria Cristina.

Na opinião da veterinária, a retirada cirúrgica é sempre a melhor opção como tratamento, pois muitas quimioterapias não funcionam bem em tumores mamários. “Existem várias técnicas cirúrgicas hoje que propiciam melhores tratamentos para a fêmea que tem tumor. Quanto mais rápido for essa intervenção cirúrgica, menos chance de metástase e menos sofrimento do animal”, orientou.

Já as gatas têm bem menos tumores de mama e a maioria das vezes é por uso de anticoncepcional, informou a médica. “As gatas não têm pseudogestação. Mas quando as gatas têm tumores, são muito mais agressivos e metastáticos. Os gatos machos também não têm hiperplasia de mamilo”, disse Maria Cristina.

Em gatas, a castração também tem um efeito protetor, recomenda Ubukata. “A gente consegue prevenir o tumor na gata, mas ela tem um comportamento diferente da cadela. Tem-se uma prevenção de mais de 90% dos tumores de mama malignos na gata, então o principal meio de prevenção é a castração”.

Se o tutor não tem interesse que o animal reproduza, a castração precoce ajuda, orienta o veterinário. “Animais já com dois, três anos de idade, ou acima disso, a castração já perde seu efeito protetor. E o objetivo da castração não é só prevenir o tumor de mama, mas também fazer a conscientização e a educação da posse responsável, para que a gente diminua a população de animais de rua, de animais abandonados, e consequentemente ter nisso seu papel de saúde pública e diminuir o índice de zoonoses, que são as doenças transmitidas dos animais para os seres humanos”, finaliza Ubukata.

Outubro Rosa Pet

Em 2020, devido à condição de distanciamento causada pela pandemia de Covid-19, médicos-veterinários se uniram para fortalecer a campanha Outubro Rosa Pet por meio das mídias sociais. Coordenados pelo professor Geovanni Dantas Cassali, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), está sendo promovida a Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer de Mama em Animais de Companhia.

Na programação do Outubro Rosa Pet Brasil será feito um evento online gratuito, de 26 a 29 de outubro de 2020, que reunirá palestrantes de todo o país. Mais informações podem ser encontradas no Instagram @outubrorosapet.

UNIÃO 1
UNIÃO 2
UNIÃO 3
CAMAÇARI CARD

Copyright © 2017-2020 Destaque1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução parcial ou total de conteúdo deste site sem autorização por escrito da Good Comunicação Ltda. Rua Francisco Drumond, nº 54 A, 1º Andar, Sala 102, Centro, Camaçari, Bahia.

error: Alerta: Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou botões disponíveis na página. A medida visa preservar o investimento que o Destaque1 faz no jornalismo.