Opinião: com racha na oposição, Elinaldo vence fácil

Articulações, unificação dos discursos e visibilidade das movimentações, assim caminha a oposição em Camaçari rumo a 2020. A questão é, até quando? Os mais experientes acreditam que o próximo pleito eleitoral pode ser marcado por um quase W.O., isso é, se toda a oposição [PT, PCdoB, PP, PSD, Podemos, Avante, demais partidos da base de Rui Costa] não fechar questão em um nome, Elinaldo renova o mandato com facilidade.

“Como sempre”, ao menos nos últimos 30 anos, a eleição no campo progressista passa pelo ex-deputado federal Luiz Caetano, que este ano lançou a esposa Ivoneide Souza, e atrapalhou mais do que ajudou a oposição, pelo menos por enquanto, pois reforçou a tese do já ultrapassado projeto familiar. Alguns dizem que é apenas para a senhora se tornar conhecida, já que quase ninguém nunca nem viu, e assim, a “escolhida”, poder concorrer a Câmara Municipal. No entanto, outros esbanjam confiança e garantem que no apagar das luzes a oposição inteira vai com Caetano, leia-se, irá apoiar a candidatura majoritária de Ivoneide.

Enquanto isso, nomes tradicionais do PT e com legitimidade, diga-se de passagem, a exemplo de Téo Ribeiro, José Marcelino e Bira Coroa, seguem debaixo das asas do velho cacique. O mais novo, com mais fôlego e maior capital eleitoral, além de chances reais de brigar de igual para igual, Jackson Josué prefere ler na mesma cartilha dos correligionários.

Assim como Jackson, Fabio Lima (PP) até poderia ser apresentado como novidade pela oposição, porém, ainda é uma incógnita devido ao histórico político e por endossar veementemente o coro de Caetano como “líder” do campo político ao qual está inserido.

Mais independente, todavia com pouca munição eleitoral, Maurício Bacelar (Pode) perde a oportunidade de reforçar a necessidade de renovação politíca em Camaçari e insiste em se apresentar como alternativa, tendo esse a possibilidade de alçar Chico’s Tour e Natália Vieira, por exemplo.

Não menos fora de time, preso, talvez, na nostalgia de ter sido por um longo período o político mais bem votado para a Câmara Municipal, sendo batido apenas por Elinaldo, o médico Vital Sampaio se propõe a “pensar” Camaçari, resta deixar claro a partir de qual viés e para quem, verdadeiramente.

Já o partido do presidente, o PSL, possui admiradores na cidade, entretanto, ainda com pouca envergadura para enfrentar o DEM e a esquerda. Algumas figuras começam a se apresentar nas redes sociais, mas na mesma velocidade aparecem especulações sobre supostas alianças com o governo e o fogo no parquinho se alastra, isso porque a tônica dos discursos das principais figuras é de oposição ferrenha a Elinaldo e Caetano.

Ou seja, o desfecho da aliança que a oposição irá costurar não está cristalizada, se é que conseguirá unificar realmente, todavia, preocupado o governo não está [fato!], mesmo com todo o desgaste já sofrido, a reeleição de Elinaldo é dada como certa, e inclusive, nomes para sucessão em 2024 não faltam, já a oposição talvez continue a gritar “Volta Caetano” até 2032, pelo menos.

Lenielson Pita, jornalista e editor do Destaque1.

 

jornalismo@destaque1.com

Um comentário em “Opinião: com racha na oposição, Elinaldo vence fácil

  • sexta-feira, 7 de junho de 2019 em 20:25
    Permalink

    Parabéns meu amigo Lenielson! Ótimo comentário sobre a politica de Camaçari.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Para compartilhar esse conteúdo, por favor, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. As regras tem como objetivo proteger o investimento que o Destaque1 faz na qualidade de seu jornalismo.