Onde ir: de doces a comida baiana, restaurante vegano reinventa pratos tradicionais em Camaçari

Nesta sexta-feira (1) é celebrado o Dia Mundial do Veganismo, movimento que tem como objetivo erradicar do cotidiano todas as formas de exploração de animais, seja na alimentação, vestuário e cosméticos.

De acordo com dados do Google Trends, entre 2012 e 2017, a busca pelo termo veganismo aumentou 14 vezes no Brasil. O que demonstra o crescimento da preocupação com os impactos do que é consumido. As pessoas se conscientizam cada vez mais sobre a origem e a forma de produção dos alimentos que chegam à mesa.

Vegano e vegetariano

O veganismo é diferente do vegetarianismo, pois os vegetarianos não consomem carne, seja ela vermelha ou branca, mas podem consumir produtos de origem animal, como ovos, leite, iogurte, manteiga, mel, entre outros. Já os veganos não incluem produtos de qualquer origem animal nas refeições.

Mercado

Segundo a Sociedade Vegetariana Brasileira, no Brasil há cerca de 240 restaurantes especializados em comidas vegetarianas e veganas. Em Camaçari, interessados por essa culinária podem desfrutar dos diversos pratos servidos no restaurante D’Provê, que fica na Rua Parque Central, no Alto da Cruz. O local também oferece o serviço de delivery através do número (71)  99295-3808.

Com um cardápio diversificado, o D’Provê foi criado há cinco anos pela cozinheira Marli Souza, de 42 anos. Em entrevista ao Destaque1, ela contou que a ideia de criar o estabelecimento surgiu do amor por cozinhar. “Sempre gostei de cozinhar para muitas pessoas, almoços de família, reunião de amigos. A ideia do restaurante surgiu na verdade do amor por cozinhar”, afirmou.

Kibe Vegano recheado com tofu e azeitona

Foi através da igreja que Marli se tornou adepta ao veganismo, unindo hoje, gastronomia com a proteção aos animais. “O veganismo entrou na minha vida através da igreja. Faço parte de uma congregação onde somos aconselhados a nos alimentarmos bem, cuidar do corpo e proteger o meio ambiente”, explicou.

Por ser um mercado ainda em crescimento, a dificuldade de obter materiais para a produção dos pratos prejudica o dia a dia de quem trabalha com culinária vegana. “Conseguir matéria prima pra trabalhar é muito difícil, como variar cardápio quando não se tem de onde conseguir material para tal?”, relatou Marli.

A cozinheira ressaltou que a maior recompensa é ter pessoas que não são veganas experimentando os pratos. “O fato de podermos nos alimentar sem maus-tratos e mais uma vez pensando no meio ambiente. É gratificante ver pessoas que não são veganas provando da nossa comida e voltando”, enfatizou.

Entre os pratos mais vendidos estão: comida baiana, lasanha, feijoada, estrogonofe e escondidinho. O cardápio extenso mostra que é possível evitar o sofrimento dos animais sem abrir mão dos seus pratos favoritos.

Mais informações sobre o D’Provê podem ser obtidas no Instagram do restaurante aqui.

Leia também

 

Um comentário em “Onde ir: de doces a comida baiana, restaurante vegano reinventa pratos tradicionais em Camaçari

  • terça-feira, 5 de novembro de 2019 em 07:13
    Permalink

    Parabéns pela matéria!
    Sou cliente do D’Provê e posso atestar a qualidade e o sabor da sua culinária, além do ambiente agradável, onde encontramos boas amizades. Fica ali pertinho da Cidade do Saber. Vale à pena conhecer!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Para compartilhar esse conteúdo, por favor, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. As regras tem como objetivo proteger o investimento que o Destaque1 faz na qualidade de seu jornalismo.