Navio grego é apontado pela PF como responsável por derramamento de óleo no Nordeste

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta sexta-feira (1) uma operação para apurar a origem e autoria do vazamento de óleo que atingiu mais de 250 praias nordestinas brasileiras. A investigação, que teve início em setembro, localizou uma mancha de petróleo cru a aproximadamente 700 km da costa brasileira, fruto de um derramamento de um navio grego que teria ocorrido entre os dias 28 e 29 de julho.

A embarcação atracou na Venezuela em 15 de julho, permaneceu por três dias, e seguiu rumo a Singapura, pelo oceano Atlântico, vindo a aportar apenas na África do Sul. O derramamento investigado teria ocorrido nesse deslocamento.

O navio grego está vinculado, inicialmente, à empresa de mesma nacionalidade, porém ainda não há dados sobre a propriedade do petróleo transportado pelo navio identificado, o que impõe a continuidade das investigações.

Nesta sexta-feira (1), serão cumpridos dois mandados de busca e apreensão no Rio de Janeiro, expedidos pela 14ª Vara Federal Criminal de Natal, em sedes de representantes e contatos da empresa grega no Brasil.

As investigações da PF ocorrem em união com a Marinha do Brasil, o Ministério Público Federal, o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama), a Agência Nacional do Petróleo, a Universidade Federal da Bahia (Ufba), Universidade de Brasília (UnB) e Universidade Estadual do Ceará (Uece).

Leia também 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Para compartilhar esse conteúdo, por favor, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. As regras tem como objetivo proteger o investimento que o Destaque1 faz na qualidade de seu jornalismo.