Fiquem conectados conosco

Geral

IBGE: setor de serviços cresceu 3% em agosto na Bahia

Apesar disso, o setor está longe de mostrar recuperação em relação às perdas causadas pela pandemia.

Avatar

Publicado

-

Foto: Reprodução

De acordo com dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira (14), em agosto, o volume do setor de serviços na Bahia voltou a crescer (3%) frente ao mês anterior, na série com ajuste sazonal, após ter registrado queda na passagem de junho para julho (-0,7%).

Nessa comparação, foi um resultado bem próximo ao nacional (2,9%) e o melhor para um mês de agosto, empatado com o verificado em 2011, desde o início da série da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE.

Apesar disso, está longe de mostrar recuperação em relação às perdas causadas pela pandemia. Os serviços baianos seguem acumulando forte retração desde que se iniciou o isolamento social em combate à Covid-19. Nos seis meses entre março e agosto, o setor acumula queda de -22,3% no estado.

De julho para agosto, o desempenho dos serviços na Bahia (3%) seguiu o movimento de resultados positivos verificados em 21 das 27 unidades da Federação. Amapá (7%), Acre (6,2%) e Minas Gerais (5,8%) tiveram as maiores altas, enquanto Tocantins (-5,5%), Roraima (-3,2%) e Mato Grosso (-2,7%) mostraram as quedas mais intensas.

Na comparação com agosto de 2019, o setor de serviços baiano segue apresentando forte queda (-23,4%). Nos 12 meses encerrados em agosto, os serviços baianos também seguem em baixa (-13,4%), um desempenho bem inferior ao nacional (-5,3%) e o segundo recuo mais profundo entre os estados, mais uma vez acima apenas de Alagoas (-15,1%).

UNIÃO 1
UNIÃO 2
UNIÃO 3
CAMAÇARI CARD

Copyright © 2017-2020 Destaque1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução parcial ou total de conteúdo deste site sem autorização por escrito da Good Comunicação Ltda. Rua Francisco Drumond, nº 54 A, 1º Andar, Sala 102, Centro, Camaçari, Bahia.

error: Alerta: Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou botões disponíveis na página. A medida visa preservar o investimento que o Destaque1 faz no jornalismo.