Fiquem conectados conosco

Geral

Ford manterá área de engenharia do Senai Cimatec Park em Camaçari, afirma Fieb

A instituição ressalta que diversos setores serão impactados pelo fechamento da fábrica.

Mirelle Lima

Publicado

em

Foto: Ascom/SDE

De acordo com nota da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb) divulgada na noite desta segunda-feira (11), apesar do encerramento das atividades da Ford em Camaçari, serão mantidas as atividades que ocorrem em parceria com a empresa no Senai Cimatec Park.

“Como reconhecimento de todo apoio e suporte tecnológico do Senai, a Ford manterá sua área de engenharia na Bahia, onde terá uma atuação global. Essa área, que deverá envolver um pouco mais de 600 colaboradores, já atua parcialmente dentro do Senai Cimatec Park, em Camaçari, e a Fieb espera uma expansão da atividade”, destaca.

A instituição ainda enfatiza que o setor automotivo é responsável por 4,1% de pessoas empregadas na indústria de transformação. “É uma perda relevante para a indústria baiana, que terá impactos negativos relevantes para a cadeia automotiva do estado. O setor automotivo representa cerca de 5,5% do Valor da transformação Industrial na Bahia, além de cerca de 4,1% do pessoal ocupado na indústria de transformação”, afirma.

Para a Fieb, diversos setores serão impactados pelo fechamento da fábrica. “Além dos sistemistas, que atuavam na própria fábrica da Ford, há fornecedores diretos e indiretos na área de pneus e petroquímica na indústria, sem falar de atividades portuárias e de logística que sofrerão, resultando em efeitos significativos. Atualmente, a Ford e seus sistemistas têm 7.216 empregados”, explica.

UNIÃO 1
SUPERLIMP
ASSINATURA DESTAQUE1
HELLOA

Copyright © 2017-2020 Destaque1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução parcial ou total de conteúdo deste site sem autorização por escrito da Good Comunicação Ltda. Rua Francisco Drumond, nº 54 A, 1º Andar, Sala 102, Centro, Camaçari, Bahia.

error: Alerta: Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou botões disponíveis na página. A medida visa preservar o investimento que o Destaque1 faz no jornalismo.