Estacionamento rotativo e calçadão são principais cobranças do comércio de Camaçari

Na manhã desta terça-feira (26) a Câmara de Vereadores realizou no Teatro Alberto Martins uma audiência pública para debater os desafios do comércio de Camaçari e soluções para o desenvolvimento do setor.

Proposta pelo vereador Oziel Araújo (PSDB), a audiência contou com a participação de representantes do Sindicato do Comércio Patronal de Camaçari e Região (Sicomércio) e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) subseção Camaçari, além de empresários, comerciantes e populares da cidade.

Devido à crise, o comércio de Camaçari enfrenta dificuldades que resultam na queda das vendas. O vereador Oziel ressaltou a busca de soluções feita pelos comerciantes. “Estamos em uma crise que tem acometido todo o país, mas o comércio de Camaçari nesse momento difícil não tem cruzado os braços e tem buscado soluções”, afirmou.

Oziel Araújo, vereador. Foto: Hyago Cerqueira/Destaque1

O tucano ainda destacou que a população muitas vezes não tem contato com o que é produzido internamente, como no Polo. “Camaçari tem uma posição estratégica e todos os produtos que são produzidos aqui no Polo de Camaçari, muitas vezes não possuem contato com a população da cidade”, enfatizou.

Em meio a era digital, o movimento nas lojas físicas diminuiu. Dados de uma pesquisa feita pela empresa NZN Intelligence no início deste ano, mostram que 74% dos consumidores preferem comprar pela internet. Entre os fatores que resultam essa escolha estão a comodidade, agilidade e melhores preços.

Erlan Pereira, advogado, OAB Camaçari. Foto: Hyago Cerqueira/Destaque1

Para o representante do setor de defesa do consumidor da OAB Camaçari, Erlan Pereira, a boa relação com o consumidor garante o retorno ao comerciante. “Quando a pessoa vai comprar algo, tem que ser como um amigo, a pessoa tem que querer voltar, então é preciso que o comerciante aja com honestidade, porque assim é quase certeza que o cliente volta”, afirmou.

O diretor de marketing do Sicomércio, Thiago Testa, falou sobre possíveis soluções para o desenvolvimento do comércio de Camaçari. “Nós temos que discutir aqui projetos em longo prazo”, disse.

Thiago Testa, diretor de marketing do Sicomércio. Foto: Hyago Cerqueira/Destaque1

Entre as soluções apresentadas por Thiago está transformar Camaçari em um polo regional, que seja preferência no momento das compras de moradores de cidades vizinhas e gerar no cliente uma experiência de compra que vai além do produto, para humanizar o momento da compra e não perder para o digital.

O vice-presidente do Sicomércio, João Flávio, destacou a importância da participação da população no processo de debate. “Precisamos fazer com que a população venha junto com a gente para conseguirmos atingir esse desenvolvimento”, frisou.

João Flávio, vice-presidente do Sicomércio. Foto: Hyago Cerqueira/Destaque1

João também afirmou que a mudança do SAC para o Boulevard Shopping causou prejuízo aos comerciantes. “Quando eu tiro o SAC do Centro, eu tiro o movimento, que prejudica os comerciantes da região”.

Os principais fatores apresentados no Centro de Camaçari para que o comércio seja beneficiado foram: estacionamento rotativo, calçadão para pedestres, descentralização dos estabelecimentos e segurança noturna.

Comerciante há 15 anos, Josenilton Gomes contou que recentemente houve uma tentativa de roubo no seu estabelecimento a noite. Thiago Testa, do Sicomércio, explicou que há iniciativas público-privadas que podem ser aliadas na segurança.

Josenilton Gomes. Foto: Hyago Cerqueira/Destaque1

Josenilton ainda lembrou a situação do Camelódromo, que se encontra inativo. “O Camelódromo precisa de uma ação do poder público, está abandonado, precisamos de uma solução que ajude os comerciantes”, finalizou.

Além de medidas na sede, também foi debatida a maneira de fomentar o comércio a partir do turismo de Camaçari, com as praias da Orla. Também foram destacados os problemas na infraestrutura das ruas e organização dos estabelecimentos.

Thiago Lopes, empreendedor. Foto: Hyago Cerqueira/Destaque1

Estudante de direito e empreendedor, Thiago Lopes, afirmou que devem ser atraídos novos visitantes que se tornam clientes para Camaçari e assim aumentar o potencial de venda da cidade.

Já o empresário João Alberto enfatizou a importância de continuar a discussão sobre o tema. “Como empresário da cidade, eu conheço essa luta e espero que esse debate possa continuar até que seja atingido um objetivo”, afirmou.

Durante a audiência estavam presentes ainda os vereadores Dentinho do Sindicato (PT), José Marcelino (PT), Zé do Pão (PTB), Fafá de Senhorinho (DEM), Pastor Neilton (PSB), Val Estilos (PPS), Rui Magno (DEM), Flávio Matos (DEM) e Cristiane Bacelar (PRB).

Rui Magno, vereador. Foto: Hyago Cerqueira/Destaque1

Rui Magno apontou a descentralização do comércio como um fator essencial da cidade. “Descentralizar o comércio de Camaçari ajuda muito no desenvolvimento da cidade, temos ali, por exemplo, a área do Boulevard Shopping que está se expandindo e se torna oportunidade para muitos comerciantes”, afirmou.

O democrata ainda cobrou mais participação do poder público. “O Executivo tem que estar mais presente, os comerciantes movimentam a cidade”, disse.

José Marcelino. Foto: Hyago Cerqueira/Destaque1

Marcelino relatou que sentiu falta da presença de mais comerciantes na audiência.“Era pra ter mais comerciantes aqui, precisamos falar mais sobre isso e convidar para o debate”.

O vereador também cobrou a presença de representantes do Governo. “Vereador tem limite, não podemos alcançar tudo, precisamos de ação do Governo”, finalizou.

Leia também 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Para compartilhar esse conteúdo, por favor, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. As regras tem como objetivo proteger o investimento que o Destaque1 faz na qualidade de seu jornalismo.