Escolas públicas e privadas devem responder questionário sobre gravidez na adolescência até abril

As escolas das redes pública e privada de ensino de todo o país têm até 15 de abril para responder a um questionário sobre a quantidade de casos de gravidez em adolescentes com idade escolar.  O questionário deve ser respondido por gestores ou profissionais designados pelas instituições, que devem considerar somente os casos de gravidez em adolescentes na faixa etária de 10 a 19 anos de idade registrados em 2018. Não será necessário identificar a gestante.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a gravidez precoce acontece entre mulheres de 10 a 20 anos. O Brasil tem 21 milhões de adolescentes com idade entre 12 e 17 anos, sendo que cerca de 300 mil crianças nascem de mães nessa faixa etária. Apesar dos altos índices, o Ministério da Saúde afirma que houve uma redução de 17% no número de mães entre 10 e 19 anos, no período de 2004 a 2015 .

Ainda de acordo com a OMS, 7,3 milhões de adolescentes se tornam mães a cada ano ao redor do mundo, das quais dois milhões são menores de 15 anos.

O projeto de questionário escolar é desenvolvido em conjunto pelos ministérios da Educação e da Saúde, por meio do Programa Saúde na Escola. A iniciativa tem o objetivo de mapear o número de casos de gravidez precoce para apoiar a criação de políticas públicas de cuidado integral às adolescentes grávidas.

As escolas devem solicitar a ficha no Sistema Educacenso.

*Com informações do Inep

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Para compartilhar esse conteúdo, por favor, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. As regras tem como objetivo proteger o investimento que o Destaque1 faz na qualidade de seu jornalismo.