Dietas restritas em carboidratos destacam-se como mais atuais estratégias para perda de peso

A dieta low carb ou baixo carboidrato consiste na redução das quantidades de carboidratos, de maneira em que esse macronutriente não seja mais o de maior quantidade na alimentação, comparado ao recomendado nas orientações nutricionais tradicionais (DRI’s).  A orientação em uma alimentação convencional é que cerca de 50 a 55% do total ingerido ao dia seja de carboidrato, porém no método low carb essa quantidade cai abaixo de 45% do total.

Na dieta low carb, as quantidades de carboidratos podem reduzir gradativamente a depender da estratégia adotada, mas o que é necessário é que haja uma redução do carboidrato e que ele não predomine na dieta.

A aplicação da dieta pobre em carboidrato fundamenta-se no fato de que havendo uma grande restrição de carboidratos, haverá início de Cetose (produção de energia a partir de gordura quando não há quantidade suficiente de glicose disponível) e oxidação lipídica, causando saciedade e aumento do gasto energético, fatores que devem promover um balanço energético negativo e consequente perda de peso.

Existe uma redução da ingestão de carboidratos e aumento da proporção de proteínas e gorduras. O intuito é que a proteína promova elevação do gasto energético, preserve a massa magra e aumente a saciedade. Consequentemente há um menor estímulo à secreção de insulina, quando comparado a dietas tradicionais. O objetivo é diminuir a secreção de insulina, aumentar a oxidação de gorduras, utilizar gorduras como fonte de energia e conservar a massa magra corporal.

A Literatura vem ressaltando vários benefícios da redução de carboidratos da alimentação. De acordo com Xavier (2017), a dieta low carb mostrou-se eficaz na perda de peso e redução da massa gorda, contribuiu para melhora do perfil lipídico, aumento significativo do HDL, diminuição dos triglicerídeos, controle glicêmico e melhoria de alguns parâmetros de risco cardiovascular. Outros achados ainda enfatizam a melhoria do controle da glicemia e Diabetes Melito II.

Porém, a redução acentuada de carboidrato pode prejudicar a capacidade do indivíduo de praticar atividade física, por reduzir os estoques de glicogênio muscular e aumentar a fadiga durante o exercício.

Dessa maneira, é imprescindível que antes de iniciar a Dieta Low Carb o indivíduo procure acompanhamento com um Nutricionista para que sejam adotadas estratégias de acordo com a necessidade e possibilidade de cada um.

Leia também

Eridiane Barros é nutricionista, consultora em restaurantes de Camaçari, e extensionista com ênfase em pacientes queimados pelo Consultório de Equipe Multidisciplinar da FTC – Salvador.

jornalismo@destaque1.com

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Para compartilhar esse conteúdo, por favor, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. As regras tem como objetivo proteger o investimento que o Destaque1 faz na qualidade de seu jornalismo.