Fiquem conectados conosco

Destaque

Cerca de 20 mil pessoas participam do cortejo de abertura da lavagem de Jauá

Camila São José

Publicado

em

Hoje (25) foi dia de celebrar Bom Jesus dos Navegantes, padroeiro da comunidade de Jauá. Milhares de pessoas percorreram os 3 km até à igreja que leva o nome do santo.

Dona Catarina. Foto: Hyago Cerqueira

Entre os presentes, dona Catarina Pereira de Sousa, 91 anos, baiana que participa das lavagens de Camaçari há mais de três décadas e vem passando essa tradição para a família. “A alegria é bom demais. Eu gosto muito, principalmente do cortejo. Hoje vim pedir paz e saúde para todos nós”, diz.

“Eu gosto, já vem de família, minha mãe, minha filha e daqui a uns dias minha neta”, conta Rita de Cássia Sousa, a filha de dona Catarina que nesta sexta-feira veio render homenagem ao santo e pedir por mais trabalho e a conquista da sua aposentadoria.

Além das baianas, o cortejo trouxe música com as charangas. A Big Band veio com um repertório eclético ao som do afoxé, axé, lambada e samba – 15 músicos do grupo animaram o público presente.

Gilmário. Foto: Hyago Cerqueira

“Tudo começou com um grupo de amigos e a cada ano que passa é como se eu tivesse a obrigação de estar aqui, pelos anos que já participo”, fala Gilmário Santos, 27 anos, que a cerca de 10 anos integra as tradicionais lavagens da orla de Camaçari.

A Charanga dos Guerreiros veio de Saubara para Jauá, trazendo na bagagem o ijexá e o samba. “Onde tiver cultura nós estamos. Esse link entre as culturas é sempre bom. Eu mesmo venho pelo amor à cultura”, comenta Roque Músico, 50 anos, trombonista do grupo.

Charanga dos Guerreiros. Foto: Hyago Cerqueira

Quem também marcou presença foi a Associação de Capoeira Engenho, que há mais de 10 anos integra os grupos culturais nas lavagens da orla. Mestre Grandão destaca que a capoeira é símbolo de resistência e luta e poder trazer isso para o calendário de festas populares da cidade só fortalece o movimento.

“É um prazer estar participando da lavagem de Jauá, é bacana ver que vários grupos culturais estão participando e se tratando da capoeira é mais importante ainda, porque a capoeira sobrevive no Brasil através dessas manifestações, festas de largo, lavagens”, pontua.

Tatá Ricardo. Foto: Hyago Cerqueira

Para o presidente do Conselho Municipal de Cultura, Tatá Ricardo, o calendário das lavagens reflete a característica do povo camaçariense, comunidade alegre, festiva e de cultura diversa.

“As manifestações populares representam a história e a historicidade do povo. E retratar, resgatar, promover, difundir a história do povo é garantir a memória e a vida […] é celebrar a vida, a diversidade e dizer não a todas as formas de preconceito e intolerância”, destaca.

Para o prefeito Elinaldo Araújo (DEM) o dia foi para pedir paz, prosperidade e melhora na economia do município. O gestor frisa que estes têm sido momentos importantes para a cidade, principalmente por conta da participação popular.

“É um saldo muito positivo. O bom é que a população também tem participado, tem acompanhado e é isso que tem fortalecido a lavagem: a participação do povo de Camaçari”, defende.

Elinaldo Araújo. Foto: Hyago Cerqueira

Segundo a Polícia Militar, cerca de 20 mil pessoas participaram do cortejo e entre elas estava o morador de Jauá Cloves Dias, 72 anos, ao lado da família e vizinhos no bloco Amigos do Portal de Jauá. “Tem coisa mais bonita do que isso aí?”, pergunta. “Não pode acabar nunca”, completa.

Moradora de Jauá há 15 anos, Lindinalva Gomes dos Santos, de 59 anos, afirma que gosta de tudo e que este momento é importante “porque é quando Jauá está mais cheia e vem os turistas”. Comenta ainda que está ansiosa para o show de Unha Pintada no domingo (27).

Téo Ribeiro. Foto: Hyago Cerqueira

E falando no turismo, o líder da bancada de oposição na Câmara, vereador Téo Ribeiro (PT), acredita que as lavagens são responsáveis por fomentar a economia local.

“Além de economicamente ser muito bom para as pessoas que vivem e moram aqui, é um momento de alegria, um momento de externar aquela coisa que o baiano tem de alegria, de festa. Então, esse é um dia que todo mundo ganha, os comerciantes vendem mais, as pessoas ficam alegres e é bom a sociedade estar se manifestando cada vez mais”, frisa.

“Eu acho que nossas lavagens são um símbolo cultural. Então, as lavagens na orla toda é uma coisa que os nativos defendem, gostam e isso nasceu da Igreja Católica. Então, é importante que a gente mantenha essa tradição, o prefeito foi equivocado quando há dois anos atrás extinguiu as lavagens da orla e agora o povo reivindicando, as lavagens estão retornando com muito brilho”, complementa o vereador Dentinho do Sindicato (PT).

Programação

Essa é a quarta lavagem do mês de janeiro na orla de Camaçari e o coordenador de eventos, Júnior Barley, garante o saldo tem sido positivo até o momento.

Barley lembra que da parte religiosa, a festa em Jauá terá uma série de shows até a segunda-feira (28). Trazendo como novidade dois palcos. Hoje no palco da praia, a partir das 14h, terão os grupos Corda Bamba e Canto Samba.

“A gente agora participa do cortejo e mais tarde temos uma festa com as baianas, temos uma festa lá na praia também. Amanhã começa a arena aqui de Jauá com atrações locais, regionais e nacionais e teremos na segunda-feira o baile dos coroas”, fala.

A programação completa você confere aqui.

Foto: Haygo Cerqueira

Foto: Haygo Cerqueira

Foto: Hyago Cerqueira

Copyright © 2017-2021 Destaque1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução parcial ou total de conteúdo deste site sem autorização por escrito da Good Comunicação Ltda. _____________________________

error: Alerta: Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou botões disponíveis na página. A medida visa preservar o investimento que o Destaque1 faz no jornalismo.