Campanha pretende aumentar doações de leite materno em 15%, afirma Ministério da Saúde

Com o intuito de ampliar as doações de leite materno no país, o Ministério da Saúde lançou, nesta sexta-feira (17), a campanha Doe leite materno, alimente a vida para que as gestantes e lactantes se sensibilizem, e contribuam com uma doação não somente durante este período, mas também no decorrer do ano.

Segundo o Ministério, é necessário um acréscimo de 15% na rede de bancos de leite, onde é armazenado todo o líquido doado. A doação é destinada para a alimentação de crianças que nascem prematuras ou com baixo peso, e que não podem ser amamentados pelas próprias mães.

Ainda de acordo com a pasta, qualquer quantidade de leite pode ajudar esses bebês. Um mililitro, por exemplo, pode ser suficiente para uma refeição, dependendo do peso da criança. A quantidade de leite coletado por esses bancos, no entanto, supre apenas 55% da demanda real. 

De acordo com o ministro da Saúde, Henrique Mandetta, o Brasil é uma referência mundial na manipulação de leite materno, com uma série de países que adotam tecnologia brasileira de coleta, pasteurização e entrega do alimento.

“A gente tem uma correlação direta entre aleitamento materno e redução de mortalidade infantil. No caso dos prematuros, isso ainda é mais dramático. Nós temos muitas mães que, pela prematuridade, estão na UTI e há uma ruptura desse vínculo [entre mãe e filho]. Esse bebê tem, como arma principal de prevenção, o leite materno”, explica Mandetta. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Para compartilhar esse conteúdo, por favor, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. As regras tem como objetivo proteger o investimento que o Destaque1 faz na qualidade de seu jornalismo.