A importância da pesquisa eleitoral e suas alternativas, por Kleven Soares

Qualquer candidata que queira concorrer efetivamente nas eleições de 2020, e ser eleita, vai precisar criar intimidade com os mais variados tipos de pesquisa eleitoral e garantir que as pesquisas realizadas para sua campanha tenham resultados fiéis, caso contrário, o investimento será apenas um desperdício de recurso.

Todos sabem que conseguir recursos financeiros para aplicar na campanha eleitoral é um desafio cada dia maior, principalmente para as candidatas que estão começando a se lançar na política e querem ser eleitas. A aplicação desses recursos de forma coerente irá potencializar todas as estratégias de posicionamento das candidatas.

A pesquisa eleitoral é um dos primeiros investimentos a serem feitos, independente do valor que tenha a disposição para campanha. Não ter os dados de uma pesquisa em mãos é basicamente não saber o que fazer para chegar ao objetivo esperado, além de ter muitas ressalvas mesmo tendo acesso a uma pesquisa.

A primeira e mais importante ressalva de investir numa pesquisa é a fidedignidade dos resultados, a candidata que quer realmente entender o comportamento de suas eleitoras terá que realizar o investimento num instituto, agência ou consultoria para obter os melhores resultados.

Entretanto, o que muitas candidatas não sabem, é que qualquer pesquisa apresentada precisa atender a amostra do universo de eleitoras, esse cálculo irá definir a quantidade de entrevistas que necessárias para obter um determinado nível de confiança dos resultados e a margem de erro.

Muitas candidatas fazem pesquisas apenas com intuito de ter acesso às intenções de votos de suas eleitoras, mas esse é um dos maiores erros, pois a depender do questionário que seja aplicado, é possível ir além da intenção de votos.  Os dados obtidos com as pesquisas são aplicados em todas as estratégias da campanha, principalmente na construção do discurso que poderá ser direcionado para cada público.  Não basta ter dados de uma pesquisa é preciso saber como usar.

Um exemplo da aplicação dos resultados da pesquisa ao discurso é quando os dados mostram que a população clama por melhorias na saúde, e a candidata poderá usar essa informação apresentando projetos que ela poderá desenvolver na saúde, que irá beneficiar a população, ou até mesmo por uma estratégia de desgastar o atual gestor do executivo para impedir sua reeleição ou até mesmo a transferência dos votos. Esses discursos irão permitir dispersar os votos ou redirecionar os votos para candidata. A melhor estratégia é sempre trabalhar com projetos inovadores, pois perseguir a oposição apontando seus erros poderá ser um tiro no pé.

A candidata não pode é desistir da campanha por não ter uma pesquisa, pois é possível através de uma parceria com uma candidata de outro município conseguir ter uma pesquisa sem precisar contratar um instituto, pois essa é a única forma de ter um resultado próximo do real, pois jamais se deve pagar voluntários pra entrevistar eleitoras, mas pode fazer uma troca, seus voluntários pesquisam no município de sua parceira e vice-versa.

O que impede pessoas envolvidas numa campanha é a vontade incontrolável de tendenciar a pesquisa acreditando que isso irá ajudar sua candidata. Os entrevistadores não devem saber quem é o contratante da pesquisa, não podem viver no município da entrevista ou ter qualquer relação, pois caso contrário podem influenciar as respostas e obter dados não reais. Essas parcerias dão certo, principalmente com as candidatas de um mesmo partido, onde não terá conflito de interesses.

Além das tradicionais pesquisas de dados quantitativos que dão vida a gráficos magníficos é preciso realizar uma pesquisa chamada de grupo focal, para avaliar a subjetividade das opiniões de suas eleitoras de forma qualitativa. E também pode ser feita em parceria com uma candidata de outro município.

Entretanto ao fazer parcerias para reduzir os custos será necessária a presença de uma consultora para treinar os entrevistadores, capacitar as candidatas em como criar o projeto de pesquisa, tabular, analisar, realizar os cruzamentos e análise de dados obtidos na pesquisa que serão necessários para obter o máximo de informações e avaliar a aplicação dos dados obtidos nas pesquisas, reduzindo os custos.

São muitas as possibilidades de ter acesso aos resultados de uma pesquisa eleitoral, o que não pode ocorrer em nenhuma campanha é não ter um rumo a seguir, e a pesquisa é o rumo que orienta as candidatas na direção correta.

Kleven Soares é formado em Marketing pela UNIFACS, analista de estratégias políticas e CEO da Agência Ascom – Marketing Político.

 

Para acessar outros artigos clique aqui.

*Este espaço é plural e tem o objetivo de garantir a difusão de ideias e pensamentos. Os artigos publicados neste ambiente buscam fomentar a liberdade de expressão e livre manifestação do autor(a), no entanto, não necessariamente representam a opinião do Destaque1.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Para compartilhar esse conteúdo, por favor, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. As regras tem como objetivo proteger o investimento que o Destaque1 faz na qualidade de seu jornalismo.