“Todos os países que têm acesso a armas na mão morre muita gente”, diz Rui sobre massacre em SP

Na última quarta -feira (13), os jovens Guilherme Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique, 25, deixaram 10 alunos mortos no massacre na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, São Paulo.  A tragédia que comoveu o Brasil mobilizou também o governador da Bahia, Rui Costa (PT), que falou sobre o assunto na manhã desta sexta (15) no Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (CEREST) em Camaçari ao se solidarizar com as famílias das vítimas.

Arma foi feito para matar. Não sou eu que digo, está provado no mundo. Todos os países que têm acesso a armas na mão morre muita gente. É a rotina dos Estados Unidos de matança nas escolas e locais públicos, disparou Rui.

O governador também fez um pedido aos gestores públicos e políticos para que “distribua e plante a semente da paz e do amor ao próximo”.

De acordo com a Polícia Militar responsável pela investigação do caso, os ex-alunos que executaram o massacre já haviam planejado o atentado há um ano. Os assassinos se suicidaram. Segundo a polícia, Guilherme atirou em Luiz e depois se suicidou com a chegada da PM.

Para reverter esse cenário de violência nas escolas, Costa afirma que o ensino deve ser com base no afeto. “O que nós temos que ensinar para essa criançada é dar abraço, é dar carinho, é dar beijo […] as crianças repetem o que veem e ouvem os adultos fazerem. Não adianta culpar os meninos, eles são fruto da sociedade”, pontuou.

De acordo com a investigação, os responsáveis pelo massacre competiam em jogos de tiros em lan house. Para Rui Costa a rotina e os games violentos contribuem para situações como essas.  “Quando soma essa cultura de jogo com essa rotina, vemos episódios como esses”, lamentou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Para compartilhar esse conteúdo, por favor, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. As regras tem como objetivo proteger o investimento que o Destaque1 faz na qualidade de seu jornalismo.