Sérgio Moro aceita convite de Bolsonaro para assumir Ministério da Justiça

A partir de janeiro de 2019 o juiz Sérgio Moro será o novo ministro da Justiça. O magistrado aceitou o convite do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) e a informação foi confirmada pelo pesselista no Twitter, na manhã de hoje (1).

Moro é o quinto nome confirmado para assumir ministérios na futura gestão bolsonarista. Em nota, o juiz federal afirma que aceitou o convite com pesar, pois terá que abrir mão de 22 anos de magistratura, e que terá como missão construir uma agenda anticorrupção e anticrime no país. Sérgio Moro e Jair Bolsonaro firmaram a decisão em reunião na madrugada desta quinta-feira, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

O juiz foi o responsável pela Operação Lava Jato em Curitiba – que culminou na prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), do ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (MDB), entre outras autoridades e proprietários das maiores empreiteiras de obras públicas do país – e já vinha sendo cotado para assumir a pasta desde a campanha eleitoral.

Moro se afastará de novas audiências, como marcada para o dia 14 de novembro, quando interrogaria Lula, no caso do sítio de Atibaia. O petista é acusado de ter recebido propina da Odebrecht, da OAS e do pecuarista José Carlos Bumlai em forma de obras no imóvel. Outros juízes agora devem assumir a investigação da Lava Jato na 13ª Vara Criminal Federal de Curitiba.

Como ministro, Sérgio Moro terá sob seu comando a Polícia Federal e as operações da Lava Jato.

Ainda sem confirmação oficial, o Ministério da Justiça deve ser transformado em um superministério e deverá reunir Segurança Pública, Controladoria Geral da União (CGU) e o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). O objetivo do novo ministério será combater a violência e a corrupção.

Leia a nota na íntegra:

“Fui convidado pelo Sr. presidente eleito para ser nomeado Ministro da Justiça e da Segurança Pública na próxima gestão. Após reunião pessoal na qual foram discutidas políticas para a pasta, aceitei o honrado convite. Fiz com certo pesar, pois terei que abandonar 22 anos de magistratura. No entanto, a perspectiva de implementar uma forte agenda anticorrupção e anticrime organizado, com respeito à Constituição, à lei e aos direitos, levaram-me a tomar esta decisão. Na prática, significa consolidar os avanços contra o crime e a corrupção dos últimos anos e afastar riscos de retrocessos por um bem maior. A Operação Lava Jato seguirá em Curitiba com os valorosos juízes locais. De todo modo, para evitar controvérsias desnecessárias, devo desde logo afastar-me de novas audiências. Na próxima semana, concederei entrevista coletiva com maiores detalhes.

Curitiba, 1 de novembro de 2018. Sergio Fernando Moro”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Para compartilhar esse conteúdo, por favor, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. As regras tem como objetivo proteger o investimento que o Destaque1 faz na qualidade de seu jornalismo.