Já rebaixado, Vitória se prepara para enfrentar o Palmeiras na última rodada do Brasileirão

Após o empate com o Grêmio no Barradão neste domingo (25) e a confirmação do rebaixamento, jogadores do Vitória ganharam folga hoje (26) e só voltam a se apresentar amanhã (27), iniciando a preparação para o último jogo do Campeonato Brasileiro Série A contra o campeão Palmeiras, domingo (2), no Allianz Parque, em São Paulo.

Apenas os atletas que estão no departamento médico ou em fase de transição, comparecerão ao CT Manoel Pontes Tanajura nesta segunda-feira (26). A partida contra o alviverde será às 16h (horário de Salvador).

O rebaixamento para a Série B foi confirmado após o empate entre a Chapecoense e Corinthians. A Chape ultrapassou o Leão na tabela, chegando a 41 pontos. Curiosamente, a mesma Chapecoense livrou o Vitória do rebaixamento no ano passado com um gol no último minuto diante do Coritiba.

O rubro-negro baiano é o vice-laterna do campeonato e com o resultado de ontem, chegou a oito jogos sem ganhar, sendo cinco empates e três derrotas. Na 19ª posição, o clube soma até o momento 37 pontos em 37 jogos, aproveitamento de 33%.

No total, são 60 gols sofridos, considerada a pior defesa do Brasileirão, e 34 marcados. Considerando só o Campeonato Brasileiro, a média rubro-negra é de 1,62 gol sofrido por rodada.

Com mais um rebaixamento para a conta, o Vitória tornou-se o time que mais vezes caiu da Série A na era dos pontos corridos, iniciada em 2003. São quatro quedas em 10 participações na primeira divisão do campeonato.

Agora a meta é superar a pior campanha do rubro-negro num Brasileiro da Série A, quando terminou no 17º lugar com 38 pontos, em 2014. A temporada de 2013 é considerada a melhor campanha do time e, também, o melhor desempenho de uma equipe nordestina na competição. Naquele ano, o Vitória ficou em 5º lugar com 59 pontos.

Além do Vitória, o Paraná também está rebaixado para a Série B. Ceará, Vasco, Chapecoense, América-MG e Sport disputam para não ocupar as duas outras vagas.

Troca troca

O troca troca na diretora do time e dos técnicos também refletiu no desempenho dentro de campo. Desde maio de 2015 foram quatro presidentes: Raimundo Viana, Ivã de Almeida, Agenor Gordilho (interino) e Ricardo David.

À frente do campo, nesta temporada o Vitória contou com três treinadores: Vagner Mancini, Paulo Cézar Carpegiani e João Burse. Ao longo de 2018, 26 jogadores foram contratados pelo time, mas a maioria não conseguiu se firmar.

Trajetória negativa que também refletiu nas arquibancadas do Barradão. Essa foi a pior média de público do Vitória na Série A do Brasileirão, pelo menos desde 2008 – primeira vez que disputou um campeonato de pontos corridos com 20 equipes. O Leão fechou o ano com média de 9.182 torcedores por jogo.

O maior público pagante do Vitória na Série A deste ano foi no BaVi do dia 11 de novembro, pela 33ª rodada, que acabou empatado em 2×2. Naquela partida, 21.714 torcedores foram ao Manoel Barradas. O segundo maior público, 17.982 torcedores, foi pela 30ª rodada, quando empatou também em 2×2 com o Corinthians, no dia 21 de outubro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Para compartilhar esse conteúdo, por favor, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. As regras tem como objetivo proteger o investimento que o Destaque1 faz na qualidade de seu jornalismo.