Elinaldo discorda de fechar boxes de feirantes inadimplentes

O dilema de 1.500 feirantes chega ao segundo dia nesta terça-feira (19). Com a determinação da justiça na última sexta-feira (15) de fechar o Centro Comercial a partir de hoje (18), devido a ausência de pagamento de água e energia de quase 50% dos permissionários, o Governo Municipal trava uma batalha para reabrir a Feira de Camaçari.

Já no sábado (17), a Procuradoria do Município tentou suspender a decisão através de recurso no plantão judiciário, sem êxito. Hoje, a Procuradoria ingressou com novo recurso, mas desta vez junto à Presidência do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA). O pedido ainda não foi analisado.

Feira improvisada no estacionamento externo do Centro Comercial. Foto: Hyago Cerqueira

Em visita a feira improvisada no estacionamento externo do Centro Comercial, no final da tarde desta segunda-feira, o prefeito de Camaçari, Elinaldo Araújo (DEM), revelou em entrevista ao Destaque1 que discorda que os boxes dos comerciantes que estão inadimplentes sejam fechados, como defendem feirantes que estão em dia com as taxas e se sentem prejudicados pelo fechamento de toda a Feira (lembre aqui).

 

Na decisão judicial, o juiz da 1ª Vara da Fazenda Pública de Camaçari, César Augusto Borges de Andrade, além de exigir que Elinaldo comprove as cobranças e pagamentos das despesas de água e energia referente a 2017, 2018 e 2019, o magistrado também solicitou que o prefeito apresente proposta de seleção pública dos permissionários para utilização dos boxes disponíveis no local.

Imagem: Reprodução da decisão judicial.

A Coordenação do Centro Comercial estima que cerca de 10 mil pessoas circulam diariamente na Feira, entre funcionários, feirantes  e consumidores.

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Para compartilhar esse conteúdo, por favor, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. As regras tem como objetivo proteger o investimento que o Destaque1 faz na qualidade de seu jornalismo.